SAUDADE

A SAUDADE

Imagem cedida gentilmente pela Internet


Sempre que o homem pensa
Restes de luz surgem diante dos factos.
E examinando bem os conteúdos
Apenas se descobre o que se quer.

Assim simplesmente

Tantas vezes paz, tantas vezes luz
Certezas dos nadas
Vibrações do Tudo em mim de Ti
Sinuosidade na distancia entre ti e mim.

Que no silêncio apalpo.
.
Turvada a minha vista não esqueci o teu olhar
Imensamente terno, ilimitado
Tuas palavras de coragem, ascenderam
Duma maneira linda o meu saber.

Registou, Registei

Palavras de coragem
Palavras de amor
Palavras de frequência
Palavras de incidência
Palavras de Paz
Palavras de Luz

Eu senti

Palavras, soltas, quase insignificantes
Elas eram para mim
Nada, nem ninguém mas deturpou.
Minhas?
Mas eu dou-as são para ti, amigo (a)

SAUDADE

Saudade, SAUDADE....Tanta
Ficou... e não quero destruí-la
Ela coloca a cada segundo
Um rebento novo naquela roseira já seca.

Flores muitas rosas para todos vós
Utilia Ferrão

2 comentários:

Dulce disse...

Saudade, essa palavra bem portuguesa com cheiro a nostalgia...arranca-nos o chão palpável da nossa passada...faz-nos levitar nos meandros saudosistas das recordações e no traiçoeiro sentimento de dor que sempre acompanha esta trajectória que no peito se abate...
e no entanto, sabe tão bem relembrar palavras e momentos vividos e guardados para sempre com que se amou e ama para todo o sempre.

Beijinho amiga

Maria Luiza disse...

Saudade palavra triste quando se perde um grande amor, igual a uma borboleta vagando triste por sobre a flor... já dizia uma antiga canção popular. Utilia, que adorável poesia sobre esse sentimento,e acolho toas, uma por uma as flores e rosas que nos ofertou. Bjbjbj!!!