sexta-feira, 20 de maio de 2011

PRESENÇA

PRESENÇA

Debruçada sobre a janela daqueles olhos abertos, não pude deixar de espreitar aquela alma.
Havia ali um convite especial... era o convite duma alma que precisava de falar com outra alma.
E de alma a alma e de coração a coração começou o diálogo do silêncio.

Uma conversa sem sons sem palavras apenas imagens que passavam dentro daquele palco fechado com um cortinado tecido de pálpebras.

Cortinado corrido...
Mas Como é possível sentir o outro tão perto neste silêncio?
Como é possível partilhar tantas imagens, um filme? Era um filme feito de episódios de uma vida... mas que sentimento é este de presença real? E portanto tu já não fazes parte deste mundo...

“Não é possível fazer tudo.
Mas o impossível será continuar a não fazer nada...”
Utilia Ferrão

quarta-feira, 18 de maio de 2011

DIGNIDADE SEMPRE


Comportemo-nos Com Dignidade (Rom 13,13)

Não está em luta não... está em silêncio, emudecido pelo tempo.

Já não sei o que o Verão das noites quentes me dá como instantes valiosos... Esqueço aquele toque que bate no meu fundo e retorna em eco aos meus ouvidos.

Tam...Tam... Tam... Tam...Tam... Tam...

Penso e não duvido.
O tempo deu no Tempo a luz verde da concepção passada.
Nunca esqueci que Ele me habitava.
E eu leio porque gosto das palavras porque gosto de ideias pensadas e analisadas.

“Como é possível que haja cristãos a apoiar a guerra e pior, que haja cristãos envolvidos em guerras?”

Quer escrever? O quê? (Perguntava ela)... Escrever o sentir... pois claro. É a evidencia mesmo, o sentir com, em etc.

 E os sábios das ciências já não sentem nada? Sentem? Lamento... não sabe escrever o sentir: vou sentir o que escrever, não vem das teclas, não vêm dos dedos vêm do sentimento.
E as letras esfarrapadas vão surgindo, ocupam o vazio do espaço já preenchido

E num sopro final o vento varre as folhas soltas caídas daquela árvore....

Estranho.
É que as letras ficaram gravadas na minha mente.
Sinto-as vivas, parecem luzes acesas que me iluminam em cada carreirinho que percorro em cada passinho que dou.

É que o espiritual tende a ser enquistado em alguns momentos e encostado a alguns locais, que se procuram com incontido afã, mas cuja fruição é cada vez mais difícil de integrar no quotidiano.”.

Querem caminhar comigo?
Utilia Ferrão

Inspirada no DIA A DIA COM DEUS