quinta-feira, 11 de novembro de 2010







O SENHOR DO ADEUS

Uma saudade invadiu o firmamento
Jamais verei o teu sorriso aberto.
Mas digo-te assim em pensamento.

ADEUS

Acenas no tempo presente
A alegria do passante.
E a tua mão lá no alto
Fica assim tal como antigamente.

SAUDADE

Escrevo para ti ás escuro, num livro sem folhas...
Tu que guardavas dentro de ti o mundo.
Acasalavas o amor e a solidão.
Para assim dizeres com a mão...

ADEUS.

Deste o que de mais valioso há no homem
Passando por louco talvez
Mas jamais a loucura do amar passa sem efeito.

SORRI

Passam tapetes debaixo dos teus pés
Rios de água serena levam-te á outra margem
Muitos rosais para ti bem agem...

És o Senhor do ADEUS
Sorrio e digo-te obrigada
Aceno bem alto a tua alvorada.
ADEUS।
Utilia

Por todos os defuntos deste dia continuamos o terço pelas almas do Purgatório.

terça-feira, 9 de novembro de 2010



ENCONTREI
Será que ser-se verdadeiro é uma ilusão...
Num mundo em que parte da verdade é simulação?
Será que a vida não pode ser de pedaços de certezas
Em vez de pedaços de complicação?

Acredito que peço muito ,
Mas quem pede e dá, estende a mão
O Amor e a paz são remédios
Mas nunca são escravidão

Utilia

Assim também vós, quando tiverdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei:
Somos servos inúteis, fizemos o que devíamos.Luc17-10

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

अस अल्मास दो PURGATÓरिओ 8º DIA




As almas do Purgatório, fazem parte da igreja de Cristo, na caminhada para a Ressurreição.
São almas, ou seja corpos só espirituais desencartados, que quando caminharam nesta terra com o seu corpo não conseguiram preparar-se suficientemente bem para se apresentarem em frente do Criador, ou seja da Luz Eterna.
Estou certa que nós que temos, um corpo e uma alma, podemos neste mundo ajudá-las, a seguirem a sua caminhada para Deus, isto é intercedendo diante de Deus Pai .

Estou ainda convicta que eu que tenho um corpo e uma alma, ando aqui nesta terra para me preparar para a vida Eterna, e é através da Caridade, do Amor, Esperança, e muita Paciência que a fé da minha igreja Católica e a minha própria fé me leva a professar a Esperança na Ressurreição.

Sinto que estas almas fazem parte do mundo da minha igreja ou seja a igreja tem as almas militantes, as que sofrem e as gloriosas, claro todas tendem á Luz de Deus.

As gloriosas estão junto Dele, as militantes vão percorrendo a vida preparando-se e cuidando umas das outras, assim fazendo parte do corpo místico de Jesus Cristo, oro por elas e acompanho-as e o meu objectivo nesta terra é mesmo esse ser uma serva útil ao serviço daquelas (aqueles) que Deus colocou no meu caminho até se preparem e nos preparem,percorrendo as provas positivas ou negativas que vamos encontrando nesta terra desde o nascer ao morrer.

Muitas vezes Há um culto exagerado segundo a minha maneira de pensar, o que leva as pessoas suas familiares ou amigos a sentirem um apego tal, que procuram por todos os meios manter-se em contacto com elas.

Quanto a mim que sou uma ignorante neste assunto, pois apenas falo pelo que vejo leio ou sinto, essas almas noutra dimensão que não é a dos vivos precisam de ser libertadas dessas amarras que tantas vezes as ligam aos familiares ou amigos, muitas vezes quando acompanhava doentes terminais em cuidados paliativos o doente permanecia tempos e tempos na dor e não morria, estava numa angustia tal que nada o conseguia acalmar,o familiar estava tão agarrado a essa pessoa por laços de uma tal fusão, que ela ás vezes queria até morrer e já tinha aceitado a morte e não conseguia e assim ia sofrendo.

Nessa altura eu mesma preparava e continuo a prepar o familiar para “cortarem o cordão umbilical, não era preciso muito, era apenas aceitar o inevitável ou seja a morte, que como sabemos faz parte da vida.

Muitas vezes o familiar ao pé do leito do moribundo dizia: “eu estou aqui contigo mas faz o que achares que é melhor para ti”.
Apenas uma pequenina frase, assim pequenina ou outra no género, ajuda a pessoa a libertar-se e nessa altura o paciente partia em paz....

Gosto muito de partilhar certas experiências minhas na minha caminhada de vida e vou contar uma história linda, que me ficou na mente. e sabem estas histórias vão saindo á medida que vou relembrando e falando, estão como que embrulhadas numa gaveta que abro de vez em quando:

Certo dia andava a passear com uma amiga e ela achou que me devia confessar, então eu tive como que uma convicção que “naquele convento”, havia um padre que nos poderia atender, claro tudo isto eram intuições...e disse:
Vamos a este convento e eu vou confessar-me.
Já há anos que não me confessava... pois eu estava casada só pelo civil e não servia para grande coisa segundo a minha maneira de pensar... antes eu tive como que uma luz e quase que uma ordem sei lá, ás vezes acontecem coisas assim a todos nós sinto eu, e pensei perguntar pelo padre Agostinho um nome que me tinha vindo assim... (mas com muita força), este nome trotou-me na minha cabecinha.

Bem, entramos no convento e logo na recepção eu pergunto se o Padre Agostinho estava, a pessoa que se encontrava no atendimento ficou um pouquinho engasgado... e... disse-me: Lamento, mas não sabe a noticia? (Mas que noticia penso eu...) O padre Agostinho morreu em missão em...No estrangeiro.

Eu e a minha amiga dissemos lamentamos... obrigada e partimos, esta história intrigou-me e não consegui entender nada destas coisas mas compreendi que me devia confessar... imaginei mesmo essa confissão com esse padre e orei pela alma dele, que nunca conheci só pelo nome e também orei pelos religiosos desse convento aonde tinha acabado de entrar pela primeira vez....



Então eu com todo o corpo glorioso de Jesus peço pelas almas de todos os que passarem por aqui hoje.
E entrego todas as almas que neste dia se desprendem dos seus corpos para irem para a vida Eterna AMEN

Utilia

Amanhã teremos connosco a amiga Dulce de
ह्त्त्प््egraudesilencio.blogspot.com