terça-feira, 10 de abril de 2012

MAS... A VERDADE


Mateus 28, 18-20
“ Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra.
Ide pois de todas as nações fazei discípulos, baptizando-as
Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo
Ensinando-as a guardar tudo o que vos ordenei.
Quanto a mim, eis que eu estou convosco
Todos os dias, até á consumação dos tempos.”

Desvairadas  estas  palavras sem Norte
Descem ao fundo do meu pensamento.
Batem no solo árido dos meus desejos.
Ressaltam na fervura ardente do meu ser.

Incógnitas: Para quê? Porquê? E para onde?

MAS... A VERDADE
Os jogos perderam-se dentro de mim em Ti.
As algemas foram cortadas, nada disso existe
Difícil é encontrar quem perdeu e quem ganhou.
E no sentido figurado estava eu...

No verdadeiro sentido está Ele.
E
“Águia que voa perto do Sol,
Não lhe dá cuidado como irá atravessar um rio tumultuoso

Só mesmo eu para desenhar assim o meu destino

Nesse rio iam os meus ideais
Os meus princípios, e a minha confiança
Liderança firme Naquele que me criou.
Relembrar a brisa é mais que sonhar...

“Quanto a mim, eis que eu estou convosco
Todos os dias, até á consumação dos tempos.”



Serei eu mais fada que o fado.
Serei eu maior que a minha própria ignorância?
Serás Tu o servidor íngreme com as mãos estendidas

Que me Perguntas?

Aonde está a tua Força?
Onde está a tua Fé?
Aonde estão as tuas obras...

Cingimos pois as mãos

Agarramos os bocados que restam.
Não deixemos fugir a dignidade
Não deixamos perder a confiança
Não deixamos de ser quem somos.
PERDER A SUA IDENTIDADE?
NUNCA

Somos SERES HUMANOS
Mas também
SERES ESPIRITUAIS

UTilia Ferrão