quinta-feira, 16 de julho de 2009

DIGNIDADE


"Cada vez que sorris a alguém, realizas um acto de amor"
Madre Teresa De Calcuta.




"O sentimento que cada um pode ter da sua dignidade depende também do olhar do outro - digo -é no olhar do outro que vejo se ainda inspiro amor, é na maneira como me falam, como cuidam de mim, que sinto se ainda inspiro amor, é na maneira como me falam, como cuidam de mim, que sinto se ainda faço parte do mundo dos vivos."

"Quando alguém me diz: A minha vida já não é digna, penso sempre que é uma questão que me é endereçada."

Marie De Hennezel.



O valorizar a dignidade humana pela pessoa que cuida, pela família e também pela sociedade é um remédio no conforto e bem estar do paciente.

Muitas vezes ouvimos frases como estas que foram mencionadas atrás, e outras como: A minha vida não vale nada , já não existo, o que estou eu aqui a fazer já devia ter morrido, só estou a dar trabalho...



Nestes casos de sentimentos de desvalorização da própria pessoa, nós como próximos familiares, cuidadores formais e informais e até como membros duma sociedade temos o privilégio de dignificar o doente com as nossas atitudes, o nosso olhar e mesmo a maneira como lhe prestamos os cuidados diários.