domingo, 13 de dezembro de 2015

NADA DIREI SOBRE LIBERDADE
Espraiem olhos
Pelas praias desertas
Deste silêncio emudecido
Que o hoje sente.

Trancai as palavras
Nos discursos embelezados
Mentirosos.
E sem sentido

Abri letras que digam verdades.
Proíbam os gritos dos mutismos.
Por favor.
Não deixem morrer a liberdade.

Utilia Ferrão