sexta-feira, 14 de maio de 2010

Ele quis que seus milagres fossem lembrados/ O Senhor é benevolente e misericordioso.” Salmo 111:4
Gostava de escrever algo que me ocorresse e até partilhar a alegria que tanta gente teve a graça de sentir com a vinda do Papa a Portugal mas não consegui.
O trabalho era tanto…
Mas, num momento dado, ao olhar para o ecran da televisão no quarto de um paciente senti-me tão pequenina que as lágrimas corriam-me pela cara .
Ás vezes, há coisas mais fortes que nós, pensei num fenóमनो como se isso não me dissesse respeito, mas isso provocava dentro de mim um certo incomodo, pois eu sou católica e ele é o representante máximo da nossa igreja..
Pensei nesses tantos ... e não hesitei em me unir a eles orando com fé em união de espírito e nem sequer duvidei um pouco da fé de cada um, entreguei tudo nas mãos de Jesus, aqueles olhares tocavam o meu e eu sentia-os e naquelas fisionomias lia-se perfeitamente o que ia na alma de cada um.
Quanto ao Papa sentiu-o distante e com um olhar frio ao descer do avião.
Isso mexeu comigo, lembrei-me das preocupações de um líder que tem por missão levar o seu rebanho pelo caminho pela verdade e para a Vida
Eu sou o caminho a verdade e a vida e ninguém vai ao Pai senão por mim”
“És Pedro e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja”.

Pensei quantas vezes não terá ele pensado nestas frases da bíblia?
Acreditem que desde que o vi descer do avião, não deixei de nas minhas orações o entregar a Jesus e de pedir bênçãos ao Espírito Santo para ele e para todos nós.
Mas continuava a sentir uma tristeza profunda…
Até que o vi com um olhar diferente um olhar confiante e que transmitia confiança… aquele olhar (independente de todo o aparato que levava) era um olhar sincero, de Paz e ao mesmo tempo terno, não sei se fui eu que mudei o meu olhar ou se foi mesmo o papa que mudou.
Enfim, há coisas assim, Deus confunde-nos.
Utilia