domingo, 10 de julho de 2011

ESCUTO O TEU SILÊNCIO




Ao escutar o Teu silêncio no meu corpo, dou asas ao meu voar
Adenso os mais altos lugares, lá onde o sol se faz Luz.
Palpo a escuridão em pez duro de cerviz.
Nada me perturba, nem a dor, nem a fome...
Incomoda-me a mentira

Estás comigo? Eu sei.  
.
E a sabedoria não é mais que desalinhar ideias precárias.
Já que a noite dos meus pesadelos se afoga no Teu olhar
E os prados verdejantes da minha alma crescente
Espanam a falência do meu espírito.

Nada sou...

A minha ignorância precavida, encara a sabedoria traiçoeira...
Mais sábio que o sábio é quem tem a dúvida. “Nada sei “.
O ignorante? Esse cinge as rédeas e segue com seu burrico.
E na solidão coloca o silêncio das barricadas do destino.

Estou contigo.

“A liberdade cria-se para melhor se encontrar...”

Cristo entregou-se (Ef 5,25)

Utilia Ferrão