sábado, 22 de outubro de 2011

PALAVRAS


Palavras

As palavras levam o vento.

Elas caiem dum céu azul, brilhante.
Iluminam a face do mundo.
Estrelas que bailam diante dos meus, dos teus olhos.
Tanta luz em cada palavra...

Arrebatam á sua frente Sentimentos.

 Os pensares? Ares do dizer e do fazer.
Vão tão longe”. ...”As Palavras.
O nosso povo diz: “Do dito ao feito vai um grande eito”

Eu digo: as palavras certas na hora certa, fazem milagres.

São vivas e reais, contam histórias adormecidas.
Por vezes realidades ancestrais.
Na raiz, as palavras, alimentadas com a “Palavra”
Dão senso á Vida e ao viver.

 Árvores de troncos viçosos, com folhas cheias de verde Esperança.

São loucas, por vezes, mas apenas aos olhos humanos.
Julgamentos pessoais e sociais, quebram alguns ramos.
E apressadas dizem e não dizem, mas falam sempre a verdade
Quer escritas quer apagadas, elas bailam no pensar.

Falam, choram, cantam e sorriem, elas dizem, sabem?

Mentirosas as palavras? Não, nunca.
Incertas? Sim, elas são certas e reais.
Trazem sempre ao ouvido (no papel) o que o coração sente.
O que de profundo, no intimo o Homem vive.

Dão fulgor aos frutos, e mesmo os mais pequeninos, são suculentas.

Apanhem-nos por favor, nunca os deixem apodrecer nas árvores sim?
Saibam apenas escolher, o nosso povo diz: “ As aparências iludem
Os mais bonitos ao olhar, podem até nem ser os melhores.
São todos frutos da mesma árvore.

Elas têm carácter, “as palavras”: Eu sei.

São palavras soltas, ligadas a eles (as) a mim e a “Ele”
Deixo-as como herança do meu Sentir, do meu saber,
Colhidas no meu viver de cada dia que passa.
Despendo-as com jeito e coloco-as aqui, nesta folha caída “Daquela Árvore”.

Frutos pequeninos e selvagens, as minhas palavras

Ofereço-as á, Palavra Maior: “AMOR”.
Convicta que esta, é, foi e será a “CHAVE”
Que abriu, abre e abrirá todas as portas.
Com Muito “Amor”. Sempre e para Sempre.
Para Ti, para vós, para eles (as).

Utilia Ferrão.