quinta-feira, 23 de dezembro de 2010



QUE TUDO O QUE RESPIRA LOUVE O SENHOR
Sal.150:6

RETIROU O VÈU DA ALMA

Esperei tantas vezes a tua Palavra, nas minhas noites escuras,
Esperei ouvir Teus passos descalços eternamente caminhando ao meu lado.
Esperei sentir as tuas mãos rugosas acariciar o meu rosto molhado.
Esperei a palavra certa no momento certo.
Esperei aquela canção que me cantavas quando era criança
Esperei que me desses o bocado de pão que partilhas-te outrora comigo
Esperei aquele beijo do adeus que nunca mais veio
Esperei que o Sol nascesse e eu vivesse outra voz
Esperei a tua mão acenando-me
Esperei apenas que me falasses...

Era eu Jesus de joelhos a pedir-te perdão
Reconheces-me?

Há tanto tempo que Te procurava...e Tu..., .... estava comigo.
Andava distraída, e Tu tão ocupado a chamar.
Encontrei-te assim de repente, quando caminhava,
“Numa Caminhada-No-Adevento।”
Acção em terra árida, água no deserto, acalmia na tempestade.

Palavra acertada caída no vaso certo, na hora certa..

Pensava em algo दिफेरेंते... És simplesmente, Tu presente em mim e neles
És um sabor a paz e alegria em gestos que tenho tão presentes.
És uma velha melodia já outrora ouvida
És aquele silêncio que traz a certeza na dúvida

Passei tantas vezes por Ti, bebi, da boca dos caminhantes,
O sumo das palavras, o perfume da Palavra e a beleza dos sorrisos.
E na misteriosa palavra cujo suco me vem do véu da alma retiro o cortinado.
E ouso apenas dizer
Obrigada pelo que vi ouvi e senti,
Obrigada pelo que sou com os outros obrigada pela linda caminhada

Reconheci-te e reconheço-te, cada vez que o amor que me jaz transvaza para oTodo que vive e Enaltece o Senhor Deus, detentor de Toda a Sabedoria.

E porque assim o quiseste minhas mãos serão sempre as tuas
Numa dádiva sem fim
De cuidados aqueles que me deste a mim.
Obrigado Jesus
Obrigado a todos aos companheiros silenciosos e àqueles que nos seguiram de perto
Santo Natal
Utilia

domingo, 19 de dezembro de 2010


22º DIA DA CAMINHADA – NO-ADVENTO
4º DOMINGO DO ADVENTO

Tive que ir buscar luz ao blog Amor de Deus (Pe. JAC)
VOU PENSAR HUMANAMENTE

Eis qual foi a origem de Jesus Cristo, Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José. Ora, antes de terem coabitado, achou-se ela grávida por obra do Espírito Santo. José seu esposo, que era um homem justo e não queria difamá-la provavelmente, resolveu repudiá-la secretamente. Tal era o projecto que concebera, mas eis que o anjo do Senhor lhe apareceu em sonho e lhe disse: José, filho de David, não temas receber em tua casa Maria, tua esposa, o que foi gerado nela provém do Espírito Santo, e ela dará á luz um filho a quem porás o nome de Jesus, pois é ele que salvará o seu povo dos seus pecados.

Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor disse pelo profeta: eis que a virgem conceberá e dará á luz um filho ao qual darão o nome de Emanuel, o que se traduz “Deus connosco “.
Ao despertar, José fez o que o anjo do Senhor lhe prescrevera: acolheu em sua casa a sua esposa, mas não a conheceu até quando ela deu á luz um filho ao qual ele deu o nome de Jesus.
Mateus 1 18:25”

Este texto bíblico hoje e aqui, deixa-me cheia de interrogações, são essas interrogações que vou tentar discernir com o Espírito Santo e convosco.
Há mistério que só mesmo pela fé se consegue aceitar.

Peço imensa desculpa pela minha ignorância perante este fenómeno o mistério da concepção de Maria pelo Espírito Santo.
Eu fico perplexa, mas: acredito que Para Deus nada é impossível.

Mas no meio deste mistério quero enaltecer José o Carpinteiro, aquele homem honesto, o prometido de Maria, aquele de quem todos nós ouvimos falar... pouco...pois é um homem humilde, silencioso mas, um homem obediente e de muita fé.

Este homem quanto a mim poderia ter feito um escândalo.
Qual seria a razão pela qual se calou?

Vou pensar Humanamente
Vou pensar???...
humanamente: isto é impossível acontecer.
Mas aconteceu com José o descendente de David um homem nobre.

Talvez porque a sua sabedoria não vinha dele mas de mais longe que ele
Talvez esta sabedoria viesse do Espírito do Altíssimo.
Talvez José amasse Maria para além do Amor.
Talvez tivesse a certeza que aquele sonho era uma realidade maior que ele próprio.
Talvez amasse a Deus e confiasse nele mais do que em si.
Talvez conhecesse bem Maria no íntimo e no seu amor a Deus
Talvez conhecesse bem Maria na sua honestidade e na sua humanidade.

Talvez a fé, a perseverança, a confiança e a esperança...
Fossem a motivação maior para que este drama se transformasse em Écharpe Nova.

Sei que todos vós que ides partilhar a minha reflexão sabereis dar respostas ás minhas dúvidas, sim tenho muitas dúvidas....

Sei também que os silêncios também são respostas
Sei que a ignorância só o é quando fica estagnada e não se dilui na sabedoria de Deus
Sei que todas as cabeças são capazes de pensar.
Sei que de viários pareceres nasceu a luz.
Sei que as diferenças dão origem ao essencial
Sei que Deus está connosco
Sei que o Espírito Santo nos ilumina

E depois desta reflexão tão pessoal que proponho que seja também a vossa:

Tudo isto poderá mudar.

Talvez
amanhã as estrelas tenham mais brilho.
Talvez amanhã as flores cresçam no meu jardim
Talvez amanhã espreite a luz do sol pela minha janela.
Talvez amanhã veja o verde esperança
Talvez amanhã faça um presépio para ti

Talvez amanhã veja todo o mundo sorrir
Talvez amanhã todos tenham pão para comer
Talvez amanhã seja o fim de todas as guerras
Talvez amanhã haja uma fogueira em cada lar

Talvez amanhã possa olhar-te com gratidão
Talvez amanhã te reconheça como irmão
Talvez amanhã...Talvez amanhã...
Talvez amanhã sejais vós a continuar com certezas.

Eu sei que talvez não dá segurança, mas é Natal e sabem
Estes “talvez” tão tímidos são o brotar do Homem Novo
São uma certeza dum Nascer.
Vamos nas interrogações continuar a crescer


Li isto numa entrevista dum jornalista a Jesus talvez dê para refletir

JesusNo começo, os cristãos pareciam compreender e agradecer o que Deus fizera por eles, ao dar-lhes, como presente, o próprio Filho, o Salvador, nascido da Virgem Maria e da descendência de David..
Jornalista – Mas hoje em dia já muito pouca gente sabe por que razão se fazem estes festejos…Por tradição enfeitam-se as ruas e as casas, convidam-se as famílias para uma grande reunião, em que toda a gente parece exultar de alegria, mas uma grande maioria já não sabe do que se trata! Estou convicto que se fizesses uma sondagem nesta nossa tão cristã cidade de Viseu, havias de constatar isso mesmo!
Jesus – Ainda Me lembra do ano passado. Quase ninguém me convidou para o meu aniversário! Mesas recheadas de iguarias ricas e variadas, mas só se pensava em comer, beber e oferecer prendas. Não Me lembro de ter visto muitas famílias a fazer oração e a agradecer a Deus pelos dons recebidos e pela minha vinda ao meio dos homens para os resgatar do Mal. Simulava-se que a festa era para Mim, mas ninguém Me convidava para a mesa! Fiquei à porta de algumas casas, triste por tanta ingratidão, insensibilidade e falta de fé…
Notei também que muito poucas pessoas abriram as portas aos pobres, aos doentes e aos estropiados, mesmo daqueles que sabem que desprezar os pobres é desprezar-me a Mim!
Jornalista – Ó Jesus, que haverá por aí que faz das pessoas tão egoístas e tão distantes dos que sofrem? Não aprenderam muito contigo? Afinal a Tua vinda não serviu para muito
Jesus – Para ver de mais perto, mesmo sem ser convidado, ocorreu-me entrar

Depois desta entrevista...talvez tenhamos algo a dizer....ou talvez como José vamos ficar silenciosos e prudentes ou então vamos reagir.

Penso no jornal da Beira

Um Santo Natal
amanhã