sábado, 10 de novembro de 2012

SINTESE DUM RAIO DE LUZ

ABRINDO CAMINHOS

Abrindo caminhos em florestas densas
Apraz-me a luz que brilha entre as folhagens
Dos desertos das almas solenes.
Divulgando o som das manhãs ténues
E das brisas ligeiras e simbólicas.
Ventos soprados em vidas brilhantes e desaparecidas.
Síntese dum raio de luz
Que inundou o espaço de corpos selados a jamais
Aforismo diz tu, na distância do ser-se na desesperança do Ser inevitável
E tão ténues, os raios transformam-se em cordas atadas e molhadas com gotas de neve
Aferremos os cordões.
E as gotas perladas transformam-se em transparentes presenças, dos sinuosos e derradeiros segredos existenciais...
Utilia Ferrão