terça-feira, 20 de outubro de 2009

UMA HISTÒRIA

Pois não há amor a Deus sem amor ao próximo
I João 3:20,21.
Aqueles gritos estridentes deixaram-me trémula pensei: de onde vem tanta dor?
Aqueles soluços eram um pranto, chegado na hora da despedida, uma entrega a um destino ao qual ninguém pode escapar...
....Mãe, só te tenho a ti és a minha única familia, tu não vais deixar-me, é através de ti que eu ainda vivo.
Já não disfarço mais, já não culpo ninguém, as pessoas aproximam-se de mim, mas eu quero estar só,mas tenho medo.
Enquanto olho o teu corpo indefeso nesse leito, eu pergunto-me ,mas porquê?
Meu Deus, eu rezei aos santos todos, aonde estão eles agora?
Mãe ainda és tão jovem...
De um momento para o outro os teus olhos fecham-se, o teu sorriso apaga-se e é o fim.
É-me insuportável esta ideia, mas olho para ti e sinto-te cada vez mais longe de mim mas tão perto.
Mas o que mais me preocupa é a solidão, nunca pensei tanto nela, nunca a vi tão perto nem mesmo quando me deixaste pai.
Só, sentada neste banco da entrada do hospital... foi tudo tão rápido, nem sequer tenho tempo para te dizer adeus, estou confusa, tudo se passa em mim ao mesmo tempo, entre a revolta, a minha dor e a tua, que se confundem sinto-me perdida.
Estava eu assim, quando alguém se aproxima e me diz: venha, vamos estar um bocadinho com a sua mãe, vamos conversar com ela, ela vai ajudá-la... Pensei, a minha mãe ajudar-me como?
Surpresa das surpresas, pouco tempo depois dei comigo debruçada, sobre os braços da minha mãe revivendo histórias da minha infância, a minha entrada na universidade, a nossa vida noutro pais aonde ela era a minha rainha.
Entoei os teus dons mãe, vi e senti tão forte dentro de mim que eras a melhor mãe do mundo,e entre sorrisos e lágrimas olhava para ti e via que os teus lábios ainda sorriam com as minhas histórias.
Pedia-te para ficares comigo, mas eu sabia que não eras senhora da tua própria vida, mas sabes, estes momentos que passei contigo e que aproveitei ao máximo fazem-me feliz, sinto que fiz tudo por ti, e até fiz coisas que pensava nem sequer ser capaz de fazer
Obrigada mãe por tudo o que me deste e por último a força que senti nestes últimos instantes que tenho gravados no coração.
O futuro?

13 comentários:

Canela disse...

A nossa vida é uma História!

Escrevemos cada página sem pensar que não a podemos arrancar, deste livro tão grande que é a nossa vida.

Temos direito a reescrevê-la, mas nunca a apaga-la....

Um beijinho grande e que Deus N. Senhor a abençoe.

Dulce disse...

Pegando um pouco nas palavras da Canela, porque nunca apagamos nenhuma página? Porque depois do epicentro da dor passar voltamos a lê-las e embora com lágrimas por ser saudosa, é uma leitura que nos faz sorrir também e agradecer...
Um beijinho e obrigado pela partilha.

joaquim disse...

Confesso que não percebi se é uma história que aconteceu ou um texto inspirado.

De qualquer modo é muito bonito e profundo e retenho o que hoje em dia, movido pela fé, tento viver nestes momentos.

Procurar tudo o que é bom para recordar com alegria serena o ente querido que nos deixa, na certeza também de que a misericórdia de Deus é infinitamente maior que os nossos pecados.

Abraço em Cristo

Nova Civilização disse...

Querida,

Deixo o silêncio. Apenas o silêncio, mas um silêncio de afeto, carinho, amizade e solidariedade!

Trago flores!

Beijos,

Gisele.

DE MÂOS DADAS disse...

Canela
Esta história é uma história verdadeira, não é minha, embora eu fosse uma figurante.
Passou-se há apenas alguns dias esta filha e esta mãe quizeram oferecer-me este presente que partilho convosco.

DE MÂOS DADAS disse...

Dulce
A sua participação, tal como a de todos é importante as opiniões sinceras são cruciais
para tirarmos sabedoria de tudo

DE MÂOS DADAS disse...

Joaquim
Como já disse esta história é verdadeira, foi escrita por mim
Não sou a filha nem a mãe sou a enfermeira.
Quero dizer-lhe que sentada aos pés dessa cama na hora do almoço eu estava maravilhada ao ouvir este dialogo,não me sentia uma intrusa, não me sentia a mais estava em sintonia em silêncio.Foi um verdadeiro presente.
Futuro?
Sei que esta pessoa precisa que ore por ela
A filha
Obrigada

DE MÂOS DADAS disse...

Gisele
Obrigada pelo silêncio muitas vezes ele fala tanto.
Um abraço amigo

teresa disse...

que historia cheia de conteudo e espiritualidade , com a qual podemos aprender muito .

obrigada pela partilha

saudades disse...

minha amiga ÚTILIA sei que nao tenho dito nada estes dias mas tenho andado muito em baixo, sem forças para continuar....continue com este magnifico trabalho pois consigo aprendi muita coisa da vida....um beijinho... SANTA TERESINHA a proteja...

Fa menor disse...

Tocante! Revi um pouco nesta história a minha não de há muito tempo... o pai de quem eu ainda me parece ouvir os gritos à noite...
Dói.

Bjinhos

ana disse...

fico feliz por continuares a acompanhar os doentes na hora da despedida...como tenho pena de nao poder estar aí mas eu fui egoista e mudei de emprego e agora muito arrependida.faziamos um par excelente .continua eu peço a deus que te ajude a continuar.saudades desta auxiliar que te abandonou e nao sabe se vai poder voltar.(quem vai ao ar perde o lugar).fica com deus.

Maria Luiza disse...

Custei muito a ler, mesmo com os óculos, devido ao fundo escuro e a letra naquele tom, não senti todo o contexto! mas vi que se trata de uma homenagem. Quero parabenizá-la pelo Dia das Mães. Linda semana!