terça-feira, 26 de outubro de 2010




CAMINHARAM COM OS MEUS SAPATOS

Marcam-se os passos nas sendas da vida,
Ao som dum ritmo acelerado.
Passam cabisbaixos calados, numa monotonia
Intransigente situada no tempo...
.
A cadência de olhares disfarça a nostalgia
Assimetria anónima num mundo largado.
Amarram-se as cordas dos pensamentos.
Atrofiam-se ao lado dos sentimentos.

Reconhecem-se assim os algozes embelezados
Sabendo apenas enriquecer a matéria.
Tisnando segundos num relógio tão antigo.
Mas quem diz que a ignorância não tem prestigio?

Por entre passos e tropeços
Levantam-se as silenciosas sensações
Não falam, não gritam, mas sentem....
O mundo deles é uma realidade crescente.

Ser ignorante só por ser, é melhor que tudo saber...


Passam agindo estes algozes da liberdade
Em dores angustias, duvidas, tristezas e outras impressões
Mas mais forte que o sentir é a certeza do Sol Nascente
Esperança permanente de todo aquele que vive e sente.

E na pobreza das contradições
O tempo é a brisa da razão.
Nem chuva, nem vento, nem qualquer tempestade
Apagam a Esperança e a Liberdade.

Utilia

9 comentários:

Fa menor disse...

Que a esperança e a liberdade nunca nos morram, amiga!

Beijinhos

RETIRO do ÉDEN disse...

«Ser ignorante só por ser, é melhor que tudo saber...
E na pobreza das contradições
O tempo é a brisa da razão.
Nem chuva, nem vento, nem qualquer tempestade
Apagam a Esperança e a Liberdade»

Uma beleza de reflexão. Como está tão actual!
Que DEUS não nos falte com a Liberdade de expressão e do Pão Nosso de cada Dia.
Forte abraço
Mer

malu disse...

"se quiseres saber quem sou, calça-me os sapatos e anda com eles por uma semana" - n/lembro o autor, mas penso que terá razão e que alguns "algozes embelezados
Sabendo apenas enriquecer a matéria", deviam calçar os nossos de castigo e até perceberem o perigo que correm de tropeçar com os deles no chão duro da vergonha.

Ó Utilia, grande poema hein? que o tempo da brisa da razão chegue depressa.

Bjs em Cristo e Maria.

teresa disse...

que lindooooo amiga , que inspiração ....
gostei muito ...

e olha , que remédio tens tu amiga que comprar outros sapatos , que vão percorrer novos caminhos e novas histórias ..
mil beijos ,.....

Regina F.Murbach disse...

Que bom que vc. gostou da oração. A virgem Maria estára sempre contigo na paz do Senhor. Agradecida por me visitar. Regina

Nova Civilização disse...

Amiga Utilia,

lindíssimo,

grata

beijinhos

Gisele

Dulce disse...

Confesso que já te tinha vindo ler, mas precisei reler para interiorizar a profundidade do teu poema. Duma coisa tenho a certeza: arrancaste-o do fundo da alma, do teu sentimento mais puro. E foi com essa pureza que descreveste o sofrimento mas também a luz da esperança.
Outra coisa não esperaria ou não fosses tu uma lutadora, uma amiga e um exemplo para os outros na tua forma de estar e apoiar.
Adorei amiga e fiquei presa aqui:

"E na pobreza das contradições
O tempo é a brisa da razão.
Nem chuva, nem vento, nem qualquer tempestade
Apagam a Esperança e a Liberdade."

O tempo é a perseverança de esperar sem esmorecer até que a luz da esperança liberte de novo para a frente.
Obrigado do fundo do coração por tão belas palavras.
Abraço-te
Dulce

teresa disse...

minha amiga querida ,,,, tenho um convite para ti lá no meu cantinho ....
eu sei que não vais dizer que não , tou a tua espera ,..

beijos

Ailime disse...

Amiga Utília,
Que belo poema que já li e reli e que tem tantro para refectir...
Grata pela partilha.
Um beijinho.
Ailime