sábado, 24 de março de 2012


QUARESMA 2012:SÁBADO 4ª SEMANA

“...alguns diziam: Este é o profeta
OUTROS DIZIAM ESTE É O CRISTO
Mas outros diziam....”
Poderá o Messias vir da Galileia?”
João 7 40-53

QUE DIGO EU?
Envolve-me a noite escura Senhor
E tropeço na Tua Cruz.
Os meus anseios e as minhas diligências
São tão pouco perante 0 mistério divino

Se o meu corpo se move e desgasta
Com meras preocupações
O quanto angustiaste Tu Jesus.

Naquela luta do segredo do Pai
Entre a revelação eminente da morte e Ressurreição
E a salvação da humanidade.

Suores, temporárias dores e dúvidas
Apenas uma certeza: a carne é fraca
Mas o Espírito é Divino

Caminhando contigo nesse caminho
 Faz emergir da minha alma um relâmpago
Luz nas tempestades da vida.

Paro tantas vezes sobre este peso.
Que é tão pouco diante da Tua dor
E indo mais longe, dentro de mim

Levantando o meu rosto para esse Teu fulgor,
És Deus...sou tão pouco
Entenderei eu, simples mortal o Teu desígnio.



Utilia Ferrão

4 comentários:

Ailime disse...

Olá Amiga Utília,
Uma reflexão profunda sobre a solidão, a angústia, por que Jesus passou no dar-se gratuitamente sofrendo morte de Cruz.
Interrogo-me tantas vezes se mereço este Amor imenso do Senhor ao derramar o Seu precioso Sangue por mim, por toda a humanidade.
"Levantando o meu rosto para esse Teu fulgor,És Deus...sou tão pouco Entenderei eu, simples mortal o Teu desígnio."
Grata amiga por tão bela reflexão.
Que o Senhor nos ajude a aceitar os seus desígnios.
Um beijinho.
Ailime

Felipa disse...

Um magnífico poema!
Quantas vezes nos sentimos assim, perante a Cruz? A Cruz que Jesus carregou por nós, a angústia sentida naquela noite no Horto...

Jesus é a nossa força, assim como o Pai foi a Sua força.

Dulce disse...

Também eu Utilia tropeço na Sua Cruz...
E nesta Quaresma tem sido muitos os tropeços e eu agradeço a Deus um por um, porque me faz enxergar mais além.

Lindo poema/oração. Um beijinho

Nilson Barcelli disse...

Poema muito interessante.
Muito embora eu não aprecie este tipo de poesia, não posso deixar de reconhecer o teu talento poético nele contido.
Beijo, querida amiga.