sexta-feira, 9 de setembro de 2011

OXALÁ COMPREENDAM

Deus? É Justo

Estou sentada na margem daquele rio, que por sinal me leva mais longe que a sua foz, leva no caudal a minha conversa e talvez mais... calma e desinteressada sigo a corrente ao sabor das brisas.

Entre mim, eu e Ele. Podeis ouvir, pois claro. Não há segredos, há vivências e esta, eu vou partilhá-la.

As águas são límpidas, transparentes vêem como eu? Olho ao largo e parece-me encontrar o ondular do meu pensar inédito, enquadrado num sentimento de paz e serenidade.
A Luz paira sobre aqueles fios de prata, engrossando os meus olhos.

É a verdade.

Amigos, só vos darei este segundo mas ele enriqueceu-me tanto, que neste momento mesmo é todo o ouro, toda a prata e toda a alegria que posso e sei transmitir-vos. Aceitam?

Nada nem ninguém pode retirar-te a paz. Dizia Ele

Tenho que sair de mim...Vou nadar. Saberei? Não sei se...Não fazer nada é afogar-se.

Duas lágrimas teimosas insistem em querer juntar-se a esta torrente...

E pouco a pouco, encontro-me, encontro-te, entre o rio e as duas gotas, entre, mim, e o “eu” estava o Tu estendendo-se a vós naquele rio..

Chamaste-me?

Vamos para a outra margem?

Talvez porque é a hora, ou porque as lágrimas sabem a sal, não quero engoli-las, deixo-as penetrar no rio (naquele rio) saberás qual? Elas brotaram da nascente dos meus sentimentos. “A justiça?”

Levas-me longe de mais na Tua reflexão
E por isso tenho que voltar atrás, sabem?

Justa para comigo?
Justa para com os outros?
Parâmetros de justiça?
Deus Justo, e os homens?
Filosofias de vida?
O que sinto?
O que faço?

Deus não é uma invenção e a justiça de Deus essa é e será sempre uma meta a atingir.
Não é fácil... confesso, que quando se deitam os olhos á miséria que prolifera diante da ostentação e do puder dos homens e o Puder de Deus, eu não sei muito bem compreender... faço esforços, acreditem.

A balança pesa e quase se afunda em julgamentos e se os meus são falsos, aonde estará a verdadeira justiça.
Sem reflexão, o homem pode errar, mas sem justiça a balança no prato do bem-fazer afunda-se no da precariedade
.
Não, não eram de dor de alegria ou desespero eram gotas paralelas que branqueavam a alma dum saber outro

Será que a proximidade Desta Água me leva á lavagem destes pensamentos que me perturbam?

Que pensas Tu?

Eu sei que nunca me dizes frente a frente o que pensas.
Mas eu sinto que se entrares nessa barca, a tempestade será acalmia.

Oxalá me compreenda.
Utilia Ferrão

Rio Sena

11 comentários:

Dulce disse...

Utilia...
li e reli mas tenho que voltar...
Sinto nesta postagem uma continuação da minha, preciso interiorizar muito as tuas palavras.
Beijinho

Vinicius.C disse...

Gostei muito do que li, gostei tanto que voltei a ler- muito bom!

Deixo um beijo e desejo a você uma ótima tarde!

Se puder- venha conhecer o Alma, meu blog!

Lucinha disse...

Utilia,

Linda partilha. E essa imagem do Rio Sena, nos faz viajar nesse lindo texto.
Tenha um abençoado final de semana. Beijos

Regina F.Murbach disse...

Olá amiga obrigada pela sua visita.A imagem do Rio Sena é linda. Fiquei parada observando e senti uma Paz muito Grande. Bela post. Caso vc não tenha recebido o selinho comentemais passe em meu blog e pegue-o são para os que evangelizam de forma agradável. bjs.

Ailime disse...

Amiga Utília,
Um texto sublime, poético, muito inspirado,
Falar de justiça pressupõe injustiça!
Para tudo isto como Deus nos recorda hoje na liturgia da Sua Palavra; abrir o coração ao perdão e "perdoar setenta vezes sete".
Deixo-lhe um beijinho e um Domingo pleno de Paz.
Ailime

Ailime disse...

Amiga Utília,
Venho desejar-lhe continuação de um excelente domingo.
Beijinhos,
Ailime

Pena disse...

Preciosa Amiga de Excelência e de sonho:
Um delicioso e soberbo texto sobre os limites de conduta humana de si e do consentimento de Deus.
Parabéns. É de uma ternura magistral, perfeita e linda.
Ele sabe?
Beijinhos poéticos de pura e sincera amizade.
Com respeito por si e pela sua imensa significação humana de ouro puro.
Sempre a admirar o que carinhosamnte constrói de beleza imensa.

pena

Bem-Haja, estimada amiga.
Adorei.
É extraordinária.

teresa disse...

miga devo confessar que me perdi um pouco nas tuas palavras , melhor ,, nas tuas conclusões ,,,,,, mas percebi o essencial ....

jinhos e bom fim de semana ...

Pena disse...

Notável Amiga de Excelência:
Deixei aqui um comentário ao seu encanto e ternura perante a Palavra Dele.
É brilhante, no que faz.
Sensível e perfeita quando entregue ao diálogo e manejo das palavras.
Adorei.
Beijinhos amigos ao seu talento e a si.
Sempre a respeitá-la e a admirá-la imenso.

pena

O outro comentário, não sei onde pára?
Bem-Haja, pelo carinho que emana de si e da sua beleza.
Excelente, Post!
A palavra do Senhor é linda. Pura.
Adorei.
Vamos ver se este comentário fica.

aguarela disse...

Cara Utília
Tenho vindo a reler tão agudo e poético texto.
Sim,ao ler as tuas inquietações,transportaste-me a outras margens.Áquelas em que se fica a nú diante de nós próprios,e do Senhor.Lindo!!!
Sensibilidade,veia poética,muito humana....
Saio daqui mais rica.Obrigada amiga.

bjinhosssss

joaquim disse...

Já aqui não vinha há uns tempos.

E é bom vir aqui!

Mas está "parado" há uns dias.

Está tudo bem, amiga Utilia?

Que Deus te abençoe.

Um abraço amigo em Cristo