terça-feira, 2 de novembro de 2010




RESTOS DUM ROSÀRIO

Ainda não entrei bem na oração do terço pelas almas, apesar de ontem ter rezado por elas. Há algo que contar-vos antes, um sonho que tive o mês passado, talvez um pesadelo, não consegui compreender o seu sentido ou antes os sonhos só têm sentido quando se faz tudo para que se tornem realidade, este é impossível.

Ponderei...Será que vale a pena contá-lo? “Tudo vale a pena se a alma não é pequena.”
Antes de mais passo as críticas verbais ou até cobardemente não verbalizadas.
Já me auto critiquei, apenas digo que foi um pesadelo: Tudo na vida tem uma razão de ser mesmo os pesadelos? Não sei.

Estavam algumas pessoas reunidas, para fazerem uma caminhada, nem sei para onde.
Estavam nesse grupo de caminhantes alguns leigos, um padre de uns cinquenta anos muito humilde mesmo e um bispo, o bispo estava vestido de branco, juntámo-nos num local desconhecido para mim., parecia-me um depósito de qualquer coisa.
Começamos a caminhada, mas dispersamo-nos, uns conheciam o caminho, e seguiram pela estrada entre eles o bispo e o padre, outros como eu que conheciam estes carreiros, foram montanha acima., ao chegar lá ao alto talvez um bocado em avanço, um cão não muito grande mas raivoso veio ao meu encontro e ladrava, ladrava, queria morder-me, mas eu enfrentei-o e com as minhas mãos apertei-lhe o focinho, com toda a minha força, foi uma grande aflição, a única arma que tinha eram as minhas mãos a apertar aquele focinho e aparentemente estava sozinha a enfrentar aquela fúria.

Estavam atrás do cão umas pessoas, entre outras um homem com uma faca, mas ninguém se mexia.
Agarrando com ainda mais força o focinho do cão entre as minhas mãos, ponderei em o largar: a decisão foi muito difícil, se o largasse ele voltava-se para traz e mordia as pessoas que estavam atraz dele ou então matava-me a mim e visto a passividade de todos os que estavam atrás do cão dali não havia defesa possível pensava eu....
Num pesadelo tal gritei:
São Miguel arcanjo defendei-me neste combate....
E acordei...
Ainda bem que foi um pesadelo pois como poderia eu manter um focinho dum cão raivoso entre as minhas mãos? Um frente a frente difícil confesso.
Ainda bem que gritei pelo São Miguel Arcanjo.


Nunca vos passou pela ideia que um mundo pequenino como o nosso tem muitos mundos, muitas sensações e tantas impressões sem contar aquelas que eliminamos.
Vive-se destes ingredientes.
Salsa, pimenta, colorau, cominhos, tudo especiarias especiais... Mas se nos falta o sal tão comum, a comida acaba por ser intragável e esta vida sem sabor.

E nesse mundo que é nosso o mundo tem também o mundo dos sentimentos: os medos, as duvidas, as angustias, as certezas, as incertezas as crenças e os mitos confundem-se sabem?.
Ás vezes custa acreditar que temos senso na vida, e uma certa humanidade mas é assim nem sempre as pessoas são o que mostram, há algo que as distingue daquilo que são mas o quê?
Mas meus amigos quem é bom? Quem é mau?
Hoje por acaso chove, o vento sopra os santos são tantos... já de nome aclaro, mas a verdadeira santidade o que é?
Para mim é pois fazer pelos outros o que gostaria que me fizessem a mim, é caminhar o meu caminho sabendo que estou a fazer o melhor que sei e que posso, isto, sabem, são verdadeiros milagres, não metafísicos mas são extraordinários... fazer o que tenho e devo fazer com perfeição... Difícil mas acessível
Tropeçar em coisas muito altas é verdade que provoca quedas, mas dar pontapés nas pedras...Quem diz que não faz doer nos pés?
Sabem as tempestades também incomodam e se não nos agarramos a mais alto que o que se vê lá vai tudo na enxurrada.
Utilia

4 comentários:

Dulce disse...

Amiga Utília este teu "sonho" dava "pano para mangas"
Vou começar pelo fim e dizer-te que é tão fácil ir na enxurrada...até mesmo quando julgamos que as nossas raízes estão bem profundas quantas são as vezes que ficamos com elas ao sol?? e depois começa-se tudo de novo, a cimentar e enraizar de novo. Por isso a fé tem que ser persistente e há que estar vigilante no mundo em que estamos inseridos e do qual não podemos fugir. Porque é aqui mesmo que o Senhor nos quer para chegar aqueles que ainda não o conhecem ou ignoram. Mas a vigilância também tem que ser astuta porque o perigo espreita e nunca se sabe de onde.
"sede prudente como as serpentes e simples como as pombas"
Onde foi que já li esta frase??diz-me lá tu amiga que conheces a bíblia duma forma que eu admiro:))
Beijinhos grandes
Dulce

Fa menor disse...

Há assim sonhos e pesadelos que nos fazem pensar e questionar os mundos em que vivemos.
Por vezes temos mesmo de saber arrepiar caminho e pedirmos a protecção do nosso Anjo da Guarda.

Beijinhos, amiga.

Felipa disse...

Nesse sonho o que me preocuparia mais, se tivesse sido eu a sonhá-lo, era o homem com a faca; não pelo homem mas pela faca, pois se eu sonhar com elas zango-me com alguém, normalmente uma zanga a sério e que deixa marcas.
Quando sonho com facas é certo que me zango e então passo o dia a rezar, desde que acordo, para que isso não aconteça e tento manter-me calma e alheia a certas coisas que vão acontecendo ao longo do dia, pois não gosto de me zangar com ninguém.
O cão era nitidamente o inimigo maligno, a tentá-la. Quando sonho com cães normalmente acordo assustada, e então rezo uma oração que me tem sido sempre eficaz e que é muito fácil de decorar. Rezo-a sempre que estou com medo, durante a noite, ou por causa de um pesadelo ou por ouvir barulhos estranhos e a imaginação começar logo a funcionar, etc, mas rezo a oração e acalmo, e logo adormeço novamente.
Essa oração está no blog Uma certa Luz, como aplicação lateral; leia, decore e reze, vai ver que o resultado é óptimo.

Beijinhos

DE MÃOS DADAS disse...

Dulce. Fa e Felipa

Pesadelos são pesadelos não é verdade?
Não somos supresticiosos.
Beijinhos da Utilia
Obrigada pela a ajudinha