domingo, 21 de novembro de 2010

FOLHA EM BRANCO

Vi aquela folha em branco
Senti alguém pegar meus medos
Não a sabia preencher.
E assim deslizavam os dedos…

Frases que fui escrevendo…
Registei alguns argumentos
Pensei em pedaços de vida.
Desatei memórias e pensamentos…

Cogitei nele e naquela vida.
Liguei bocados de raciocínio
Rumores, grunhidos e labaredas
Procurei-o nessas veredas.

Soube que é uma a vida singela
E em labirintos quase inaudíveis
Ouvi sons de justa liberdade.
Seiva em orelhas sensíveis…


Assinei

Utilia

4 comentários:

Pena disse...

Oh, Doce Amiguinha:
Fascina, este "Página em Branco".
Perfeita e terna.
"...Frases que fui escrevendo…
Registei alguns argumentos
Pensei em pedaços de vida.
Desatei memórias e pensamentos…..."

Escreve com beleza e encanto.
Interroga-se de forma admirável. Linda.
Abraço amigo pela sua ternura questionadora no meu blogue.
Sempre a estimá-la e a respeitá-la.
Adorei.

pena

Excelente.
É repleta de brilhantismo no que faz.
Perfeito.
Nutro uma sensivel e gigantesca admiração por si, acredite?
MUITO OBRIGADO!

Nova Civilização disse...

muito lindo!

beijinhos

Gisele

Ailime disse...

Amiga Utília,
Lindo poema onde numa página em branco foram deslizando "pedaços de vida" e "memórias e pensamentos".
Quem não tem, por vezes, necessidade de abrir o seu coração e deixar escapar um pouco das páginas que vai escrevendo ao longo da sua vida?
Gostei muito. Obrigada.
Beijinhos da
Ailime

Cantinho da Maria disse...

Folha em Branco,que no final ficou ricamente preenchida.Parabéns,Utilia,gosto muito do que escreve.

Bjinhos.Zézinha C.