domingo, 31 de outubro de 2010

ELA?... É?...SERÁ?...
Ases vezes sabem, esgota-se tudo: A paciência a amabilidade, a caridade a alegria e outras iguarias que temos, esses remédios de vida e amarras que nos seguram a ela como ligaduras que alguém colocou.
Sim porque se não fosse assim acham que valeria a pena viver?...
Mas no limiar de tanta obscuridade há outros em que escorre das veias aquela Força Vital que trazem no sangue.
É essa que quero homenagear hoje.
Aquela que diz sim livre mas de mãos amarradas
Aquela que sorri mas soluça lá por dentro
Aquela que caminha tropeça e cai mas se levanta airosa a cantar.
Aquela que se esconde a chorar
Aquela que ousa apenas uma lágrima largar
Aquela que relembra que nada é nosso.
Aquela que conta uma anedota verdadeira mas a brincar.
Aquela que raspou os joelhos a rezar.
Aquela louca sem razão mas que as razões vão lembrar.
Sim amigo o mundo é nosso, ninguém o pode negar.
Ai liberdade que nunca negas a valia do ser em si, alma que desabrocha no silêncio interpelador de algo mais longe que o que se escreve e o que se diz.
Desvario assim esta carrada de tralha, como construindo algo dum nada, mas a brisa que me afaga essa tenho-a bem presente no rosto.
Já nem sei que dizer mas as teclas escrevem sozinhas, sentimentos do meu ser.
Será que consigo escrever?
Que tragédia debitei na minha conta corrente números tão avultados… aonde encontrei eu algo de tão entulhado já com julgamentos pré concebidos?
Esvaziado o segredo da vida o sim e o não ao lado.
Um dia sim outro não, é tudo tão parecido que do sonho á realidade apenas resta a liberdade.
Utilia

5 comentários:

Pena disse...

Estimada e Valiosa Amiga:
Fez um texto sublime sobre a vida. O que somos? O que fazemos? O que estamos a fazer de significativo com a nossa existência?
Parabéns. Sabe, que adorei?
É linda. Brilhante. Sensível.
Bem-Haja, pela sua amabilidade e simpatia.
Abraço amigo ao seu deslumbre.
Concebe "coisas" doces e lindas numa pureza e beleza fantásticas e trasparentes em si.
Com respeito e admiração.

pena

Bem-Haja, linda amiga.
MUITO OBRIGADO pela sua ternura no meu blogue.
Adorei.

RETIRO do ÉDEN disse...

Um belo texto muito significativo.
Sou aquela do tudo ou nada...
Sou aquela que convivo mal com "aparências, fingimentos, mentiras, falta de amor pelo próximo,injustiça,egoísmo, falsidade, leviandade,libertinagem,desrespeito, maldade,
falta de higiene a todos os níveis...físico, material e espiritual/mental."
Aquela a quem chamam "preconceito"...por não gostar das coisas pouco certas ou erradas...
Mas o que é certo e o que é errado?
Mas o que é falso ou verdadeiro?
Mas o que é justo ou injusto?
Aquela que apesar da idade...continua sempre na mesma...acreditar no outro...ingénua...transparente.
Bjs.
Mer

Ailime disse...

Amiga Utília,

Muito belo este seu poema, que traduzirá um grito de alma, de muitas almas.
No sermão da montanha, Jesus disse-nos: " Bem aventurados os que choram, os que têm fome e sede de justiça" ....mas "Alegrai-vos e exultai,
porque é grande nos Céus a vossa recompensa».
Um beijinho da
Ailime

Alfa & Ômega disse...

Utília, maravilhoso texto e que conforto ler, logo de início: ...às vezes esgota-se tudo: a paciência, a amabilidade... ultimamente ando meio assim esgotada a paciência. Peço então em oração ... "fazei-me Senhor, manso e humildemde coração"Abração!

Cantinho da Maria disse...

Amiga Utilia,sinceramente gostei muito do seu poema.Muita verdade encerra.E á dias em que é mesmo assim.Mas é mesmo á pessoas de uma coragem enorme,com uma força que nos deixam pensativos,mesmo com tanto sofrer,tem forças para seguir.E ás, vezes,por mim falo,porquê que eu desabo ás vezes tão facilmente?! Beijinhos.Zézinha C.