quinta-feira, 13 de agosto de 2009

POJECTOS PARA LÁ DO ÚLTIMO INSTANTE (CONTINUAÇÂO)

"Cada vez que sorris a alguém, realizas um acto de amor"
Madre Teresa De Calcuta.
De repente tropeçou na vida, foi abanada e a meada que tinha entre as mãos caiu, e baixa-se para apanhar mais um fio.
Este fio vinha de longe...
Ele tinha um projecto este jovem de 28 anos.
Conversa, e mais conversa e a meada desenrola mais um fio.
"O meu pai nunca me veio ver enquanto estive doente nunca me perduou da escolha amorosa que fiz sei que vou partir, estou preparado, mas gostava tanto que eles (os meus pais) escutassem aqui no meu quarto esta canção de Goldman, puisque tu pars. assim eles saberão quem eu sou verdadeiramente."
Pensei ,vamos lá pegar no fio e organizar isso...
Mas, ás vezes o destino escapa-nos.
De um momento para o outro a vida vai-se assim, e deixa-nos descalços ,digo eu.
O paciente faleceu antes de organizar o projecto.
Foi uma familiar com quem ele se entendia bem que nos ajudou a concretizá-lo.
Quando os pais entraram no quarto a canção entoou
Este projecto foi realizado para lá dos últimos instantes
MU

1 comentário:

Anónimo disse...

Também me lembro agora de um paciente
que quando lhe foi anunciado que os seus dias estavam contados...digo contados, talvez não seja bem o termo, passou toda a noite a fazer telefonemas para anunciar a noticia a todos os amigos...

uma enfermeira