sexta-feira, 19 de junho de 2009

O LUTO


Por vezes tem-se a impressão que o luto é uma tempestade, imprevista, que chega de um momento para o outro, que deixa tudo destruído.... O que era já não é.

Aquela pessoa que ocupava todo o tempo, todo o espaço, aquela a quem eu consagrava a minha vida já não está.


Em certos casos, é frequente ouvir-se as frases seguintes:

Perco o controlo...

Já não sirvo para nada...

Num espaço de tempo tão pequeno, mesmo num instante tudo acabou.

Tudo mudou...

Como me vou agora identificar....?

Que vou fazer...

Como vou viver...?


Como me vou agora identificar com o que se passou? Como vou viver o presente? E força para o futuro? Aonde e como?


Como encontrar debaixo destas ruínas, pontos de referência para reconstruir o meu caminho?



  1. O essencial em todas estas preocupações é evitar a solidão.


  2. Ter coragem de gritar bem alto aquilo que faz doer


A Falta da pessoa


É esta falta que perturba a família, colocando um sério problema, mas sabendo que cada pessoa é única e que nada nem ninguém pode substituir um ser humano, é fácil posicionar-se e ter o seu lugar na sua familia.


Apresente as suas dificuldades, diga os seus medos,tire as suas dúvidas fale primeiro em família, com os amigos ou com a ou o psicóloga


Sei que o tema é doloroso, mas falar da dor ajuda a cuidar, é caminho para a cura.




7 comentários:

DE MÂOS DADAS disse...

Passar pelo luto, é renunciar a certos hábitos de vida certas coisas certas presenças.

Guardar a recordação, a saudade e alegria do que se viveu

Não é só perder alguém
O jovem que rompeu o namoro tem um luto a fazer.
A prença da namorada que existia na vida dele e agora já não está, a falta dos momentos vividos...

Processo do luto.
Modificações no processo de vida de alguém

Luto é reconstruir algo com o que resta.
Algo que estava começado parou de existir...
Depois desta paragem que é o luto há que reconstruir de outra maneira.

Tudo depende de uma boa preparação, as bases da familia como apoio contam muito
também são importantes as bases religosaas, os amigos .
As actividades que desempenhamos, desporto, caminhadas na natureza,investir no corpo no fisico etc

Anónimo disse...

é dificil lidar com o luto quando a pessoa que perdemos é uma parte de nos,alguem que andou dentro do nosso ventre durante nove meses e de repente dum dia para o outro ve-lo partir....se se tem ajuda psicologica ou familiar a dor supera-se melhor agora quando nao se tem ninguem desiste-se de tuo até de viver...carmen

Anónimo disse...

A dor da perda, não se mede nem se explica,
É dor que nos acompanha quando recordamos dos bons momentos, de quando pensamos que algo podia ter sido diferente e não dissemos o que era pra ser dito.
Mas saudades sim, tristeza não, pois fica a certeza de que este laço, este vínculo que criamos aqui na terra consedido por Deus, por algum propósito. Durará toda eternidade, e com esta certeza vamos nos sentindo amados, a saber que a vida é curta, um sopro nas mãos de Deus, mas a eternidade como o próprio nome ja diz é pra sempre. Nos encontraremos em bevre.
Já estou leve, sei que estás comigo, na dor da ausência atada a um lindo laço de amor!
De mãos dadas pra sempre!

DE MÂOS DADAS disse...

É verdade Carmen
É dificil perder alguém que tivemos no nosso ventre que acarihámos educamos e acompanhámos durante anos e que se torna invisível de um momento para o outro.

Mas ele só morrerá quando se apagar a recordação e a alegria do que se viveu.

E ele está com muita força não como obcessão mas como alguém que faz parte da familia por tudo quanto lhe trouxe de bom pelo seu lugar.

Recordar é viver e é motivo para reconstruir uma familia sólida e saber viver agora os momentos que se apresentam com mais amor e com mais intensidade, digo mais pois o ser humano tem tendência e fazer sempre mais e melhor (digo eu).

Quero acreditar nisso

Que bom é a recordação do bem e do bom e a recordação do menos bem e do menos bom como caminho para melhorar a Vida
A vida é mesmo depois da vida mas não da mesma forma
Um grande abraço meu
M.U

DE MÂOS DADAS disse...

"A dor da perda, não se mede nem se explica,
É dor que nos acompanha quando recordamos dos bons momentos, de quando pensamos que algo podia ter sido diferente e não dissemos o que era pra ser dito."
Frases que merecem toda a atenção.
Há tantos silêncios escondidos a chorar...
Obriga anónimo

Anónimo disse...

a dor do luto e saudade e saudade para mim significa dor somente dor, por nao poder estar perto, nao poder abracar, dizer te amo.temos um sentimento de culpa por nao termos feito certas coisas que se a pessoa estivesse viva nao fariamos mas quando morre nos arrependemos denao te-los feito.É uma dor sufocante que oprime o coracao e da taquicardia , sufoca e no meu caso so passa a base de remedios . Vcs devem se perguntar como pode acontecer isso ? Digo que estamos preparados para perder nossos pais, mas nao nossos filhos é uma dor incoparav el.

DE MÃOS DADAS disse...

Caro anóniumo
Imagino que essa dor da ausencia e sobretudo a de não ter feito o que deveria ou pensa que deveria ter feito provoque uma sensação de tristeza e nostalgia,mas que fazemos nós da Esperança e do Amor de Deus?E sobretudo enfrentarmos a realidade, não podemos morrer com os que morreram se eles estivessem vivos não nos pediriam isso, talvez nos dissessem vive o melhor que possas cada minuto e cada segundo porque a vida é curta.
Compreendo tudo isso